sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Rio + 20


O Rio de Janeiro vivenciou um momento bem diferente em sua historia. O tal do Rio + 20.
Me lembro vagamente da Rio 92, e embora tenha despertado interesses e discussoes importantes, não me lembro nem de longe de ter sido um acontecimento que tenha mobilizado tantas pessoas como a Rio + 20 o fez.
Só quem mora no Rio, mais precisamente, a partir do centro do Rio, tem ideia da quantidade de pessoas diferentes que  apareceram nas ruas quando este evento começou. Pessoas de diferentes nacionalidades, estilos, ideias, concepções… todo mundo andando um do lado do outro pelas ruas.
Eu que moro perto do Aterro, descobri ocasionalmente que uma coisa grande ia acontecer por ali. Na sexta feira a noite, fui caminhar com meu namorado no Aterro e tive uma surpresa ao constatar a quantidade enorme de estruturas que estavam sendo montadas lá. E não apenas as estruturas… eram 11 horas da noite, e a cada 100 metros (ou menos) tinha pelo menos 2 policias. Aterro vazio de pessoas, e cheio de policias. Isso foi uma novidade ! Nunca me senti tão segura na minha vida ! E juro que pensei que o ano todo podia ser Rio + 20!!!
Mas somente no domingo, apos o almoço, quando fomos caminhar com uns amigos pelo Aterro foi que eu entendi o porque daquela preparação e estrutura toda… era muita gente por lá !!! Varias tendas… cada uma fazendo seus debates, manifestações… palanques, lojas de produtos alternativos, lojas de reciclagem… uma infinidade de coisas diferentes.
Acho que ali tinha espaço e eventos pra todas as etnias, religiões e idéias.  Me surpreendi ao perceber a quantidade enorme de pessoas que lutavam por idéias/ ideais diferentes. Tanta diversidade de pensamento… tanta vontade de se fazer ouvir …
Fiquei um pouco frustrada comigo...  Fiquei me perguntando porque eu não participo de nenhum destes grupos? Porque eu não participo de nenhum grupo? A impressão que eu tive é que todas as pessoas deste planeta estavam lá lutando por alguma causa / coisa … e eu não tenho causa nenhuma!! 
Nunca tinha parado pra pensar nisso, mas naquele momento não ter uma causa me incomodou!!  Tenho minhas ideais do que é certo e errado , mas nunca quiz que o mundo inteiro concordasse ou soubesse quais são minhas crenças. Nunca precisei que o mundo soubesse como eu o vejo e sinto...
Será que eu estou fazendo isso errado? Sera que eu tenho que ficar gritando o que penso? Será que eu tenho que fazer passeatas para conscientizar as pessoas a usar fones de ouvido em lugares públicos, ou a não jogar lixo no chão, ou a não atravessar a rua com o sinal fechado para os pedestres, ou a não participar de atos de crueldade contra animais? E se eu fizer isso… quem não concorda comigo, vai escutar e mudar de ideia???
Me questiono sobre a funcionalidade de tantas manifestações. Será mesmo que desfilar nas ruas gritando, de seios de fora, vai fazer o resto do mundo ter mais respeito pelo direito das mulheres? Eu pelo menos fiquei sabendo de um monte de homens que acompanhou a passeata só para ver os seios… mas sera que eles se importaram com algo além disso?
 Será mesmo que colocar cartazes contra o consumo de carne, vai fazer as pessoas mudarem seus hábitos alimentares? Eu conheço pelo menos uma pessoa que tinha acabado de comer quase 1 kg de carne e foi tirar foto do lado do cartaz só pra zoar.
Entendo que as pesssoas tenham suas ideias e preocupações com o futuro… mas acho que tudo nesta Rio + 20 extrapolou o objetivo. E sem objetivo, decisões concretas nunca são tomadas. Estas são sempre adiadas para o próximo Rio sei lá o que (como foram na Rio 92).
Entendo que ter um ideal seja importante para muitas pessoas, mas lutar e gritar por eles não é o suficiente. Nada muda com gritaria e exibição. O que faz a diferença são os atos de cada um. São os exemplos dados todos os dias na rua. São os exemplos deixados para os filhos. É o que você faz, e não o que você grita, que faz com que as coisas mudem.
  Pensar não muda nada… fazer muda tudo!

2 comentários:

Hugo Araujo disse...

Vacilo demais comer quase um 1 kg de carne e tirar foto ao lado de um cartaz vegetariano depois. Quem foi esse ser-humano cruel?

Raquel Vital Tato disse...

Não sei Hugo... quem poderia ser?